Quando morrer quero ser cremado

Quando morrer quero ser cremado

Certamente, em algum momento de sua vida, você já se deparou pensando na morte.

E, junto desse pensamento, também deve ter refletido em como será sua despedida, qual o destino que será dado ao seu corpo ou onde seus amigos e familiares vão poder reencontrar suas memórias.

São pensamentos que tentamos evitar, pois nos remetem à idéia de partida, saudade e dor, mas sabemos que um dia vai acontecer a cada um de nós, seres mortais.

Durante a nossa vida, presenciamos algumas despedidas, e, na maioria das vezes, são nesses momentos que refletimos sobre a nossa partida.

Já explicamos em outros artigos sobre os “Tipos de cemitério: conheça cada um deles”, e sabemos que o destino mais tradicional para os entes que partem são os cemitérios, sejam eles horizontais, verticais ou jardins e parques.

Porém, há uma crescente procura pela cremação, um processo um pouco diferente, mas que possui inúmeros benefícios e vantagens, como já discorremos no post “Processo de Cremação”.

Se você é uma das pessoas que quer ser cremada quando morrer, este artigo vai ajudá-la a compreender melhor esta ideia.

Porque ser cremado ao morrer?   

São vários os motivos que levam as pessoas a desejarem ser cremadas, no momento em que a hora de partir chegar.

Não simpatizar com cemitérios

A primeira delas e a repulsa existente pelos padrões tradicionais de velório, sepultamento e reencontro em relação ao indivíduo falecido.

Existem pessoas que não simpatizam com o fato de manter o cadáver de um ente próximo em um caixão, posteriormente em um túmulo, e, por fim, em um local de visitação e manutenção constantes.

A visita ao cemitério pode não ser atraente o suficiente para a pessoa, que pode considerar mais adequado e prazeroso reencontrar-se com a pessoa falecida por meio de memórias, orações ou contato a locais, sabores e aromas que a pessoa apreciava.

Poder escolher seu local de memória

Em segundo lugar, ter a liberdade para escolher onde suas memórias serão revigoradas é o que move muitas pessoas a optarem pela cremação.

As cinzas de um indivíduo falecido podem, sim, ser armazenadas em uma urna dentro de uma Igreja ou cemitério.

Porém, uma das grandes vantagens é poderem ser espalhadas em algum lugar especial, em que a pessoa queira sempre ser lembrada com carinho.

Pode ser em um jardim, em algum cantinho especial da fazenda da família, em um rio ou arroio frequentado pela pessoa, no mar, em uma planta ou árvore, enfim, em qualquer local que a pessoa julgue agradável para ser contemplado e recordado por seus familiares e amigos.

Contribuir com a sustentabilidade

Sem dúvidas, a prática da cremação é uma das mais sustentáveis, comparadas às demais formas de decomposição e armazenamento de cadáveres.

Quem pensa em praticidade, cuidados com a natureza e otimização do uso do solo, certamente sempre optará pela pratica da cremação.

Isso porque, alem de evitar que substâncias tóxicas contaminem o solo, pela decomposição natural de corpos enfermos, e de acelerar esse processo, que envolve também a decomposição de caixões e demais itens que acompanham o defunto, a cremação evita a utilização de espaço no solo terrestre.

Diversas regiões não possuem espaço suficiente para enterrar os corpos dos habitantes que falecem, e optam pelos cemitérios verticais. A cremação, ao contrario de qualquer tipo de cemitério, não ocupa espaço em solo, o que muito contribui com a natureza.

O que é a cremação?

Para quem está convencido do seu destino após a morte, e baseado nas reflexões acima ou outras particulares, deseja ser cremado, é importante conhecer o que significa essa técnica.

A cremação é uma prática muito utilizada pelo setor funerário, que consiste em reduzir os corpos a cinzas, através da queimação de cadáveres.

Assim como nos funerais tradicionais, é possível que, antes da cremação, o corpo falecido seja velado, em uma sala específica da funerária. Dessa forma, familiares e amigos podem dar seu último adeus.

Após o corpo ser queimado, a altíssimas temperaturas, a família recebe as cinzas do ente falecido em uma urna, e tem a liberdade de destiná-la ao local que desejar.

Como formalizo meu desejo de ser cremado?

É importante ressaltar que a cremação é um desejo que deverá ser manifestado e formalizado em cartório, para produzir seus efeitos e se tornar mais rápido e menos burocrático.

Através de uma Declaração de Vontade, escrita a próprio punho, o indivíduo pode registrar no Cartório de Títulos e Documentos seu desejo de ser cremado após a morte, munido de seus documentos de identificação.

Essa declaração deve ser entregue a qualquer parente de primeiro grau, maior de 18 anos, para que seja apresentada no momento do falecimento do declarante.

Caso não seja feita a Declaração de Vontade ainda em vida, a autorização para cremação deverá ser feita pelos familiares.

A Lei 6.216, de 1975, estabelece as regras para os casos de cremação, tanto por vontade própria, quanto por desejo dos familiares.

Cremação, uma escolha pessoal

A decisão para o momento de partida nem sempre é fácil.

Muitas pessoas tendem a não se preocupar com o que será feito com seu corpo após a morte, entregando a decisão para familiares e amigos próximos.

Por outro lado, há aqueles que têm convicção de como querem ser tratados em sua despedida, destinando seus corpos à pratica de cremação.

Dessa forma, suas cinzas poderão ser depositadas no local que a família enlutada desejar, ou até mesmo, em um lugar especial pré-determinado pelo próprio falecido.

A cremação é um procedimento limpo e prático, e por estes e outros motivos, vem ganhando cada vez mais adeptos pelo Brasil.