Inumação: tudo o que você precisa saber sobre isso

Inumação: tudo o que você precisa saber sobre isso

Quando alguém falece, há muitas pendências de questões burocráticas, como o velório e o próprio processo de inumação. Veja como isso funciona e saiba como lidar!

 

Embora você possa acreditar que não sabe o que inumação quer dizer, sem dúvida já está familiarizado com o termo “sepultamento”, certo? Um processo de inumação é a última etapa da despedida de um ente querido.

No entanto, sabemos o quão desafiador é encarar o momento de perda e ainda ter que lidar com as decisões necessárias para sepultar alguém. Por isso, veja neste post o que é inumação e saiba como funciona esse processo!

O que significa inumação?

O termo “inumação” refere-se ao ato do sepultamento de alguém. Para muitos, diz respeito ao desfecho dado a uma pessoa, ou seja, considera-se a última etapa da despedida de um falecido.

Em resumo, a inumação é o processo de colocação do cadáver em um local de sepultamento, um jazigo ou túmulo, por exemplo. Dessa forma, quando alguém é inumado, significa que foi enterrado, sepultado, tumulado.

Como funciona esse processo?

O processo de inumação exige uma autorização dos parentes da pessoa que faleceu. O documento pode ser emitido pela própria funerária. E para realizar a inumação são necessários vários dos documentos do falecido.

O primeiro passo para isso é obter o atestado de óbito. Este documento é crucial para tudo o que for feito mediante o processo de inumação de alguém. Isso porque ele atesta tanto o falecimento quanto a causa da morte por um médico.

Em geral, a documentação necessária consiste em:

  • Atestado de óbito, sem ele nada poderá ser feito;
  • Cédula de identidade;
  • Título eleitoral;
  • Cartão do INSS;
  • CPF;
  • Certificado de reservista, quando for o caso;
  • PIS/PASEP.

Com estes documentos em mãos, um responsável pode dar entrada no processo de inumação por meio de uma funerária.

A funerária, por sua vez, fará o registro do óbito com os dados fornecidos e enviará essa documentação ao Cartório de Registro Civil da região em que a morte ocorreu.

Somente após isso, um número de protocolo será gerado para a retirada da Certidão de Óbito. A Certidão de óbito é o comprovante de óbito definitivo do falecimento.

O serviço funerário também ficará responsável pelo velório, cremação ou inumação do falecido.

Inumação, enterro, funeral, velório ou sepultamento?

São tantos os termos referentes à despedida de alguém que, muitas vezes, dúvidas podem surgir e confusões também.

Por exemplo, inumação é o mesmo que enterro? Enterro é o mesmo que funeral? E funeral e velório? Velório e sepultamento? Afinal, que termo se refere ao que exatamente? Vamos descobrir!

Inumação e sepultamento

Como vimos, a inumação é considerada a última etapa para o desfecho de um ente querido. Basicamente, é o mesmo que sepultamento, visto que ambos se referem ao ato de colocação do corpo de um falecido em uma sepultura, cova ou jazigo.

No entanto, sepultar ou inumar não é o mesmo que enterrar ou velar.

Enterro

O enterro tem ação de sepultar, mas pode ser entendido como um conjunto de atos formais que dão procedimento ao sepultamento. No geral, esse termo está caindo em desuso, pois, na íntegra, significa colocar um corpo debaixo da terra.

Hoje em dia, muitos corpos não são colocados em covas, como quando há a construção de um jazigo. Com isso, o uso do termo “enterro” não estaria se referindo a alguns processos adotados, visto que um corpo pode não estar, literalmente, debaixo da terra.

Funeral ou velório

Já o funeral é um evento que precede o sepultamento, mas é a etapa da cerimônia de despedida do ente querido. Em resumo, o funeral é a cerimônia completa, enquanto o velório é mais a ação de velar pela pessoa falecida, ou seja, cuidar e olhar por ela.

Inumação e exumação: qual a diferença?

Para não confundir mais, considere que inumar alguém é sepultá-la em um local, jazigos, covas ou túmulos. Já a exumação é o oposto disso, pois é ato de desenterrar os restos mortais de um ente querido.

Isso pode ocorrer, por exemplo, quando outra pessoa da mesma família falece e é preciso usar o jazigo familiar para sepultá-la. Então, exuma-se um dos sepultados ali, e a família pode optar pela cremação dos restos mortais ou por guardá-los na gaveta.

E então, conseguimos ajudar você a entender o que é a inumação e como funciona esse processo?

Saiba que, ao fazer um plano funerário, muitas dessas preocupações não serão mais suas. Veja os benefícios dos nossos serviços e assegure sua segurança para quando um momento difícil como esse chegar!