(11) 4210-6455

O dia dos mortos do México é comemorado no dia 31 de outubro e vai até dia 2 de novembro, data que equivale para nós o dia de Finados. Sendo assim, não se trata apenas de um dia, mas sim de alguns dias que são destinados a homenagear as pessoas que já se foram. Essa data é como se fosse o “Carnaval” mexicano, pois apesar da saudade e do dia estar relacionado à morte, eles comemoram bastante essa época do ano.

Nessa festividade, as pessoas vão celebrar e lembrar dos seus entes queridos, Portanto, trata-se de um dia de alegria e não de tristeza para os mexicanos, porque eles acreditam que a morte faz parte da vida assim como o nascimento e, como tal, precisa ser comemorada.

Nesse contexto, o dia dos mortos no México é um dia de alegria, felicidade e até mesmo exaltação da morte. O que é muito diferente do paradigma que existe do mundo sobre a morte, que carrega consigo muita tristeza, luto e saudade no dia de Finados.

Enfim, vamos falar tudo sobre essa data comemorativa mexicana a seguir, então, fique com a gente e confira!

Por que é um dia de tanta festa?

Para os mexicanos, o dia dos mortos no México é o dia de celebrar a volta de seus entes queridos. Isso porque na tradição dos mexicanos, o dia é marcado pela volta dos espíritos à Terra para visitar as pessoas amadas.

Também no México não se acredita que as pessoas morram e vão para um lugar ruim. Muito pelo contrário, eles acreditam que quando as pessoas morrem, elas deixam a Terra para um lugar muito melhor.

Muito sentimentos são despertados no dia dos mortos no México. Um desses sentimentos é que a vida da pessoa querida é importantíssima. Então, essa pessoa precisa ser celebra com muita alegria, pois assim seria se ela estivesse no plano terreno.

Outra característica em relação ao sentimento no dia dos mortos no México é que a morte para eles tem relação ao esquecimento das pessoas. Esse é a verdadeira morte: o esquecimento de seus familiares. Essa característica pode ser observada no filme “Viva, a vida é uma festa”.

Como toda festa grande e tradicional, existem rituais a serem seguidos, ainda mais quando se envolve as almas das pessoas queridas. As festividades começam no dia 30 de outubro com o ritual de se acender uma vela preta em um altar com as fotos das pessoas que morreram.

Entre o dia 31 de outubro ao meio dia de 1 de novembro são celebradas as almas das crianças que morreram. E como são almas de crianças elas são chamadas de “angelitos”. Por conta da alma doce e pura que normalmente as crianças nos mostram quando vivas. E as velas utilizadas nos altares são velas brancas.

No dia 1 de novembro ao meio dia até 2 de novembro são celebradas as almas dos jovens e adultos. Nesse dia, todas as almas são celebradas e as velas nos altares são de todas as cores possíveis e imagináveis, simbolizando a alegria da volta ao plano terreno.

Se um dia for visitar essas festividades, prepare-se para o dia 31 de outubro e dia 1 de novembro, porque nessas datas, as maiores festas acontecem.

Algumas tradições mais antigas da festa dos mortos são feitas em pequenas cidades do México. Uma delas é a tradição de enterrar seus mortos de baixo das casas para que mesmo a alma estando em outro plano, o ente querido continue lá de forma física mesmo que morto. Reforçando a ideia de que o falecido não pode ser esquecido.

Normalmente, nessas cidadezinhas, as comemorações acontecem dentro das casas, reforçando a ideia de reencontro da família. Então ali presentes estão os vivos e as almas das pessoas que se foram.

Em algumas cidades do México, existe a tradição também de retirar os mortos dos túmulos para limpá-los. Esse gesto só acontece quando os mortos estão na fase de estar só com a estrutura óssea a amostra. Aí a família é liberada para cuidar dos ossos e vestígios de seus mortos

A flor dos mortos, como é conhecida no México, é a flor mais utilizada para as decorações dos altares e em toda festividade, já que a sua flora acontece justamente nesta época do ano.

Ela também é conhecida como “a flor de 20 pétalas”, pois ela tem uma grande quantidade de pétalas e é utilizada também por que seu formato imita o sol, com uma cor alaranjada, simbolizando os raios do sol que iluminam os mortos.

Semelhanças com o nosso carnaval

Apesar da festa do dia dos mortos não ter os mesmos motivos do carnaval, as festas têm suas características parecidas, tais, como, a celebração da alegria.

Nos dias dos mortos, as pessoas vestem fantasia e saem pelas ruas em blocos com bandas com instrumentos de sopro e percussão, o que seria equivalente as nossas baterias de escolas de samba.

E, é claro, nas fantasias. Cada uma com o seu significado. Uma das fantasias mais usadas é a de “La Catrina”, que é a representação de uma mulher da alta sociedade. A fantasia são feitas com roupas finas da alta sociedade. Essa figura tem a função de lembrar que podemos ter as diferenças de sociais, mas, no fim da vida, essas diferenças não significam nada.

Oferendas

Como os mortos voltam para visitar os vivos, nada mais justo que os mexicanos os queiram receber da melhor forma possível. Então, além dos tradicionais alimentos da festa dos mortos como “pão dos mortos” e chocolates em formato de caveira. Os alimentos oferecidos para os mortos são aqueles que em vida a pessoa gostava muito. A intenção é oferecer aquilo o que a pessoa gostava em vida.

Essas comidas são ofertadas em um banquete no cemitério com toda a família, tipo uma ceia de Natal com todos da família. Então, assim como na ceia de Natal, a mesa é enfeitada com comidas e flores em cima do túmulo. Existe até um concurso simbólico do túmulo mais bem enfeitado, contudo, isso é só simbólico mesmo, pois todas as famílias querem deixar o túmulo mais bonito possível para receber seu ente querido.

Normalmente, nossas visitas aos túmulos das pessoas queridas aqui no Brasil, é marcada pelo sentimento de tristeza e saudade. Contudo, no México, em especial no dia dos mortos, essas visitas são mascadas pelos rostos sorridentes e a alegria. Onde vemos crianças e adultos reunidos para enfeitar os túmulos das pessoas.

A festa no cemitério é garantida com os mariachis, os músicos mexicanos caracterizados pelos instrumentos de sopro e largos sombreiros, que tocam músicas para animar a festa. E, com toda certeza, mesmo que a festa não tivesse música, a alegria estaria garantida, pois o dia dos mortos no México é sinônimo de celebração.

×